Mensagens

 

QUANDO O MUNDO INVADE A IGREJA
 Texto: Colossenses 3.1-17 A igreja precisa urgentemente tomar consciência de suas enfermidades. Estamos falando de igreja, gente, povo. Embora sofrendo enfermidades, a igreja subsiste vitoriosa. Mas se não abrir os olhos para o perigo das enfermidades a igreja corre o risco de ‘freqüentar’ a historia em vez de cumprir a sua missão e ‘fazer’ história.
 O texto de Colossenses 3 fala sobre uma dessas enfermidades: A secularização, o mundanismo. Podemos ver a igreja invadida pelo mundo. Influenciada pelo mundo. Adotando valores (ou “desvalores”) do mundo. Uma igreja tremendamente contaminada com diversos vírus que o mundo tem jogado contra ela. Crentes mundanos, carnais estão fazendo parte de nossas igrejas.
 Pessoas religiosas, com hábitos religiosos, até mesmo pessoas sinceras estão se esforçando para viverem como Cristo mandou. Mas que demonstram atitudes e comportamentos de pessoas mundanizadas. Igrejas que não expulsam o mundo do coração. O mundo é quem as absolve e toma conta.
  É como a parábola que Jesus contou, onde os espinhos sufocam e neutraliza a sua ação. O inimigo de nossas almas não tem outra arma tão poderosa para o enfraquecimento da igreja, a de encher de crentes voltados para este século... mundanizados. Que amam mais o mundo do que a Cristo. Capazes de fazer tudo pelo mundo, de sacrificarem pelo mundo, mas incapazes de sacrificarem por Jesus e pela sua igreja.
  Faz alguns anos, em Amsterdã, um irmão apresentou um estudo bíblico sobre o crescimento da igreja. Ele fez uma afirmação que arregalou os olhos da pastorada: “Neste tempo, Jesus não precisa de crentes que queiram morrer por Ele. Jesus não procura mártires dispostos a morrer por Ele. Jesus procura quem queria viver por Ele, para Ele e com Ele. Pessoas dispostas a transformar em vida a expressão de Paulo em Rm. 11:36 “Porque dEle, por Ele e para Ele, são todas as coisas; glória, pois a Ele eternamente, amém”
  Todo povo gritou amém!! O irmão disse: “Recitar é fácil, declamar é fácil. O desafio está na prática. Uma igreja enferma, mundanizada jamais transformará em prática este texto”. Era uma conferência internacional com a presença de grandes homens de Deus. Naquela manhã transformaram o dia todo em oração e consagração de vidas para haver uma mudança. O texto de Colossenses. 3 nos oferece alguns subsídios que queremos compartilhar com a igreja.
 Paulo em Efésios 5.25-27 “Vós maridos, amai as vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, a fim de apresenta-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mancha nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível”.
 Paulo está colocando o alvo da igreja, a meta da igreja, a noiva caminhando em direção ao noivo a fim encontrar-se sem nenhuma mancha nem ruga. Porque o mundanismo, a secularização , nada mais é do que a tentativa de Satanás de inviabilizar esse encontro da Igreja santa com o Noivo: JESUS. QUEM FAZ A CABEÇA DA IGREJA?  
 Quando o mundo invade a igreja,  ocorre uma inversão de valores na estrutura de pensamento da igreja. “Veja o que Paulo diz: Pensai nas coisas que são de cima, buscai as coisas que são de cima onde Cristo está assentado à destra de Deus”. Em Romanos 12.2 “Não vos conformeis com este mundo...” Quando o mundo está na igreja, os crentes pensam como o mundo pensa. Adotam filosofias do mundo, aceitam ideologias do mundo. Os crentes admitem opiniões mundanas.  
 “Uai! Não posso deixar meu filho fantasiar para a festa de são João?”. E o carnaval? “O que tem eu vestir essa roupa?”. (OUTROS). A santidade da igreja se esvai pelos poros. Porque o mundo invadiu a igreja. Não posso entender muitas pessoas. Embora elas estejam na igreja. Cristo está fora, a Palavra de Deus está fora até de seus sonhos. Porque o mundo invadiu e tomou conta do coração de muitas pessoas. É por isso que no trabalho, na universidade, para o vizinho, o crente não tem o que dizer o que ministrar o que compartilhar...... Porque o que está dentro dele, na sua mente, nada mais é do que aquilo que está na mente e no coração de qualquer pessoa afundada na lama do pecado.
 O mundo invadiu a igreja. “Isso não tem nada a ver”. Quando o mundo invade a igreja, acontece uma alteração satânica que desestrutura o pensamento da igreja. O marido trata a esposa como se fosse uma empregada, a esposa não respeita o marido, os filhos não obedecem aos pais. Os filhos levam namorada para dormir em casa com ele.
 A igreja confrontou e o pai disse: “É melhor trazer para dentro de casa do que ir para um Motel”. Porque o pensamento, mente, a cabeça dessas pessoas estão sendo feitas pelo mundo, pela mídia, e não pela Palavra de Deus. (Não percebe, mas está). O que tem feito a sua cabeça? De que lança mão para resolver seus problemas? Em quantas portas você bate antes de buscar a Palavra de Deus? Quantas pessoas você recorre antes de buscar a Deus? E quando começamos a fazer concessões? A abrir mão de valores? Princípios e doutrinas? Que antes eram tremendamente importantes, fundamentais para a construção de nossa identidade.
 E agora?!! Por qualquer promessa de melhoria circunstancial, nós cedemos. Crentes correndo atrás de qualquer mover. Crentes indos atrás de curandeiros; buscando os gurus gospel. Crentes telefonando para aconselhamentos místicos. Crentes usando a internet para consultas de revelações místicas, HOROSCOPOS.
 E a Palavra de Deus fechada na estante de sua casa. Passa meses sem sequer ler a Bíblia e quer revelação!! Um manancial nas Escrituras, uma riqueza de revelações, marginalizada, deixada de lado! É o mundo entrando na igreja. Um homem crente não é mais diferente do incrédulo. Uma mulher crente não difere da incrédula. O jovem crente é tal qual o jovem descompromissado com Cristo e sem ter sido lavado pelo sangue do Cordeiro.
 Onde está a diferença? Onde está a distinção? A diferença é a pessoa de Jesus Cristo, é a presença do Espírito Santo. Será que o mundo está entrando em seu lar? Será que o mundo tem mudado sua maneira de pensar? Será que está justificando que ainda não orou hoje, mas vai orar amanhã?
 Um irmão comentou: “Já faz algum tempo que eu não reúno minha família para dar uma palavra e para ler a Bíblia”. “Mas também é um corre-corre que não sobra tempo pra nada”. Justifica. E as argumentações e justificativas vão enchendo a nossa cabeça e começam a comandar a estrutura do nosso pensamento e do nosso raciocínio.
  Proveîte é um verbo grego que significa planejar, pensar, sonhar, afeiçoar.“Pensar nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra”. Paulo está propondo uma mudança no foco de atenção da igreja, na prioridade da igreja. “Porque dele e por Ele e para Ele são todas as coisas”(Rom. 11.36).
 O que precisa deixar de existir na igreja? V 4-11. Quando o mundo invade a igreja, alem de ocorrer uma inversão na estrutura do pensamento dos crentes. Ocorre também uma inversão na estrutura do comportamento. O crente não está apenas pensando como incrédulo, mas sendo incrédulo no seu comportando. Começa a experimentar a esquizofrenia espiritual. É crente, mas se comporta como incrédulo. Está vinculado à igreja, mas suas atitudes não são de alguém comprometido com Cristo.
 Veja o tipo e coisa que Paulo detecta no meio da igreja: Exterminai pois, as vossas inclinações carnais: a prostituição a impureza, a paixão, a vil concupiscência, e a avareza que é idolatria; pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência; nas quais também em outro tempo andastes, quando vivíeis nelas;mas agora despojai-vos também de tudo isso: da ira, da cólera, da malicia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca, não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com seus feitos, e vos vestistes do novo, que se renova para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou”.
 Paulo está escrevendo para a igreja, e ele diz: “exterminai a prostituição”. Prostituição dentro da igreja, adultério, fornicação. Quando o mundo inverte a estrutura do pensamento da igreja, o passo seguinte é os crentes se comportarem como incrédulos. Crentes com duas famílias, mentindo, roubando, envolvidos com esquemas de corrupção, abrindo mão de princípios doutrinários. Tendo comportamento que se harmoniza mais com o inferno do que com a igreja. Sabe por que? Porque o mundo invadiu a igreja. O modo de falar, O modo de vestir, O modo de agir... É o mesmo do incrédulo. Porque a sua cabeça está feita pelo mundo. Seu comportamento agora é mundano. Paulo diz: “impureza, paixão, concupiscência, avareza que é idolatria”. O verbo é forte: “Exterminai”
CONCLUSÃO Quero convidar você para assumir seu estado de enfermidade. Abra o seu coração para Deus e diga: “Senhor, extirpa de mim o pecado que maltrata a minha alma e provoca mazelas em meu coração. Extirpa de dentro de mim aquilo que não agrada ao Senhor”. O adúltero, a adúltera se transforma num homem fiel, numa mulher fiel. O mentiroso, a mentirosa, num ser que prima pela verdade e honestidade, pela transparência. O namoro do jovem crente já não é mais um namoro mundano, escandaloso e carnal. É chegado o momento de mudar!!!!

 

MENSAGEM

 

Mateus 26.42 E, indo segunda vez, orou, dizendo: Pai meu, se este cálice não pode passar de mim sem eu o beber, faça-se a tua vontade.

 

Tema: A Cruz que os pregadores modernos carregam.

 

E Agora estou indo ao jardim por um momento, "Pai, passa de mim este cálice, deixe este cálice passar de mim". Gostas de sangue. "Deixa este cálice passar de mim". Estes pregadores!

 

Eles dizem: "Oh, Jesus não queria ir aquela cruz romana."  Isso é mentira! "Oh, Jesus..." estes pregadores carismáticos, "Jesus temia o diabo", Blasfêmia! "Oh aquela cruz romana, aquele chicote, Ele não queria passar por isso." Absurdo! Deixa-me lhe fazer uma pergunta, Eu quero que você pense sobre isso só por um momento!

 

Após a morte e ressurreição de Jesus Cristo, desde aquele tempo, é estimado que 50 milhões de homens, e mulheres e crianças tenham morrido por suas profissões de fé, em Jesus Cristo. Eles morreram como mártires. A Igreja primitiva, atravessou através dos tempos dos Puritanos e da Reforma, você sabe... Vamos somente usar a Igreja primitiva como exemplo. Muitos dos seguidores de Jesus foram Crucificados. não só crucificados, eles foram crucificados de cabeça para baixo. Não só crucificados de cabeça para baixo, eles eram cheios de piche, cobertos com piche queimados no fogo, para prover luzes para as ruas romanas. Mas muitos daqueles seguidores de Jesus, sendo levados em correntes para serem crucificados, cantavam hinos cheios de alegria! Você realmente acredita que o capitão de nossa salvação está  em um Jardim se acovardando por causa de uma cruz, embora seus discípulos foram á mesma cruz, com alegria em seus corações? Você acha que o capitão de nossa salvação é tão fraco?

 

Pense Irmãos! Jesus não estava com medo de uma cruz ou de uns pregos, de uma lança de um soldado Romano ou de uma coroa de espinhos. O que havia no cálice? Eu nunca vou me esquecer esta história, de um aluno que estava em uma escola reformada - escola teologicamente reforma da- há vários anos atrás. O aluno disse: "Bem, vocês me chamaram aqui para pregar, estou aqui." Eles disseram: Você irá pregar no auditório." O aluno disse: "Maravilhoso, quais as idades?" E eles disseram: "Bem, Jardim da infância até 12° grau". O aluno disse: Bom, estarei ensinando sobre a propiciação". É meio que um ancoradouro largo vocês não acham?

 

Eles disseram: "Não será um problema, Sr." Então o aluno entrou lá e enquanto ele estava pregando ele parou e disse: O que havia no cálice? "O que foi aquilo que fez Cristo estremecer?" Ele disse nunca vou me esquecer daquela pequenina de 8 anos de idade, que levantou a sua mão,- E ele disse "Sim"? e ela ficou de pé, ao lado de sua cadeira, e disse: Sr, a ira de Deus estava no cálice." "O ódio ardente de Deus por tudo que é mau estava no cálice." Uma cruz de madeira. Todos os homens estão debaixo da justa e ardente ira de Deus por causa das suas desprezíveis perversidades.

 

Alguém tinha que beber daquela ira: Jesus Cristo naquele madeiro carregou a culpa do seu povo e permaneceu em seu lugar. Então todo santo e Justo ódio, ira, julgamento e justiça de Deus como uma luz branca cegadora veio esmagando sobre a cabeça de seu filho unigênito. Você nunca leu:

 

"E o Senhor teve prazer em esmagá-lo?" (IS.53.10) Triturá-lo ao pó. Imagine por um momento uma represa de 10 milhas de altura 10 mil milha de comprimento e você está parado embaixo disso. Uma milha distante dessa parede e em um segundo e de repente a parede é lançada para longe e toda aquela água vem esmagando sobre você mas justo antes de alcançar seus pés, o chão se abre e te engole. Então a ira de Deus destina à pessoas, o filho de Deus; tomou aquele cálice da Mão de seu Pai e Ele tomou cada gota.

 

E quando Ele clamou: está consumado," Ele virou o cálice e nenhuma gota caiu. Ele tomou tudo. Se eu fosse resumir o cálice da ira no velho testamento, seria assim, Deus dizendo: por causa da perversidade e da rebelião das nações eu lhes enviarei toda a força da minha ira.

 

Eu lhes entregarei o meu cálice Eu lhes farei tomar e eles o tomarão, e eles titubearão e eles morrerão." Mais naquele madeiro Cristo, bebeu do cálice. Vocês já ouviram a história sobre Abraão e seu filho. "Vá aquela montanha, e sacrifique seu único filho." Abraão vai aquela montanha em obediência. Ele amarra seu filho. Seu filho não oferece resistência ao que parece. O velho vai à faca. Repousa sua mão sobre a fronte de seu filho, e quando a faca vem a baixo, ele é detido. Deus proverá. Ali estava, o animal preso por seus chifres no arbusto. Que final lindo para a história. Não era o final. Era o intervalo.

 

Centenas de anos mais tarde num morro chamado Calvário, Deus o Pai, deitou a sua mão na cabeça de seu Filho Unigênito, e o sacrificou. Alguém tinha que morrer! Você vê, está é a cruz que todos estes pregadores modernos põe no fundo da loja, e não na vitrine da frente. Porque é uma coisa vergonhosa. É uma coisa horrível. E uma coisa terrível. Alguns de vocês estão se olhando um para o outro como que dizendo: "Eu nunca escutei algo parecido antes". Absolutamente, e é por isso que a cruz tem tão pouco poder em sua vida. Isso é uma coisa horrível, uma coisa desprezível.

 

Não é o tipo de coisa que você usa ao redor do pescoço. Alguém tinha que morrer. A justiça tinha que ser satisfeita. Para demonstrar amor, Deus tinha primeiro que afastar o pecado, e só havia um jeito de fazê-lo. A morte do Filho Unigênito de Deus. Ele morreu! Você vê a vida cristã é sobre isso. Paulo diz em Romanos capitulo 12. ele implora às pessoas, ele diz: "Rogo-vos." Como um pastor rogaria à uma amada congregação. Ele diz "Rogo-vos" Para fazer o que? "Para entregar suas vidas, para oferecer suas vidas como um sacrifício vivo e santo, aceitável a Deus." Mas Paulo da a motivação. Ele diz para entregar sua vida por causa da... baseado nas misericórdias de Deus.

 

E sobre o que ele está falando? Sobre o que lhe motiva para entregar sua vida à Cristo através das misericórdias de Deus. Mas em Romanos, capitulo 12, as misericórdias de Deus, se referm aos primeiros 11 capítulos do livro de Romanos. Aonde, nos primeiros 11 capítulos do livro de Romanos, Paulo explica tudo que Deus tem feito por nós em Cristo e ele pensa uma vez que Deus tem feito tudo isto em Cristo, agora entregue sua vida a Ele. E quanto mais você conhece desta cruz, mais você se entrega a apresentar sua vida a Ele. Ele já não é mais um pequeno acessório que você põe em sua vida para fazê-la melhor. Ele é a sua vida. Você é consumido por Ele. Você é constrangido por Ele. Cada pensamento, cada julgamento, cada palavra, cada coisa que você faz.

 

Porque você faz isso Senhor? Porque você faz aquilo Senhor? Porque Cristo derramou seu próprio sangue pela minha alma. O amor de Deus em Cristo me constrange. Ele morreu. Autor do sacrifício, A Criação envia o chamado Autor do sacrifício, Uma vida para pagar por todas Autor do sacrifício, O único inocente deve ser assassinado Auto do sacrifício, E traga de volta os homens a Deus novamente. Ele morreu! É maravilhoso o que o Espírito pode fazer quando Ele está aqui. 

     

É incrível o que não é feito quando Ele não está. mas Cristo morreu. Aquelas palavras deveriam ser suficientes para quebrar seu coração em mil pedaços e te lançar ao chão e adorar a Cristo. Ele morreu por você.  Mas Paulo nos diz - As Escrituras nos dizem - que ELE não permaneceu morto. Não é só a morte de Jesus Cristo que nos salva, é também a ressurreição de Jesus Cristo. Há uma grande parte da história. Se Ele tivesse permanecido morto não haveria nada. Não haveria esperança. Todas as coisas colidiriam em pedaços. Mas Deus reivindicou Seu Filho Unigênito ressuscitando-o dos mortos. E ressuscitando-o dos mortos, Deus colocou Seu selo e nos disse, publicamente declarando através da ressurreição de Jesus Cristo, que seu sacrifício era suficiente para expiar os pecados de seu povo. Cristo morreu. Cristo ressurgiu novamente dos mortos. E Cristo ascendeu 40 dias depois à destra de Seu Pai.

 

 

MENSAGEM

 

IPedro 5.6 Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte;

 

Tema: O culto ao eu.

 

Que aumenta cada vez mais em meio à nossa população – no qual cada um se considera cada vez mais importante. Cresce a sociedade que quer levar vantagem em tudo, que não recua diante de nenhum meio para alcançar seus objetivos. É indiferente se outros têm de sofrer com isso – o que importa é que se consiga o primeiro lugar. Um dos lemas em curso entre a juventude é: "Eu sou mais eu".

Também esta é mais uma prova de que a Palavra de Deus é confiável, pois ela diz o seguinte acerca dos "últimos dias": "E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos" (Mt 24.12). Quem não cuida e não vigia, torna-se cada vez mais egoísta e nem o nota, mesmo sendo cristão. O egocentrismo, o culto ao eu se infiltra onde a Palavra de Deus é deixada de lado – e com isso é deixado de lado o relacionamento íntimo com Jesus Cristo. David H. Stern traduz essa passagem muito acertadamente da seguinte maneira: "O amor de muitas pessoas esfriará porque a Torá se afasta cada vez mais delas" (Novo Testamento judaico). Não se convive mais com a Sagrada Escritura. Mas é só através do contato com a Palavra de Deus, através do amor do Espírito Santo e da comunhão com Jesus Cristo que adquirimos a capacidade de sermos humildes.

Satanás abandonou a Palavra de Deus por seu orgulho sem limites – e caiu. Igualmente cristãos que não mais são dirigidos pela Palavra de Deus e pelo Seu Espírito Santo se tornam vítimas do orgulho. Tornam-se ambiciosos e se acham cada vez mais importantes – e a causa de Jesus é empurrada para segundo plano.

No Evangelho de Lucas um acontecimento nos mostra como o orgulho se manifesta e quais as suas conseqüências: "Reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhe uma parábola: Quando por alguém fores convidado para um casamento, não procures o primeiro lugar; para não suceder que, havendo um convidado mais digno do que tu, vindo aquele que te convidou e também a ele, e te diga: Dá o lugar a este. Então irás, envergonhado, ocupar o último lugar. Pelo contrário, quando fores convidado, vai tomar o último lugar; para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima. Ser-te-á isto uma honra diante de todos os mais convivas. Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado" (Lc 14.7-11).

O Senhor nota quando somos orgulhosos

"Reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares..." O orgulho é uma coisa que nós, como filhos de Deus, não gostamos de expor publicamente, pois sabemos que é constrangedor quando é notado.

O orgulho começa no coração. O orgulho é algo sorrateiro, que entra devagarinho em nosso coração, mudando nossa motivação e mudando a base de nosso querer e de nosso agir. Em geral não usamos de violência para chegar mais à frente. Tudo começa muito sutilmente, nos insinuamos com cuidado. Fazemos um jogo duplo com outros, colocando o olho nos melhores lugares.

O Senhor olha diretamente para dentro do coração e fala: "A soberba do teu coração te enganou..." (Ob 1.3).

Não creio que as pessoas da nossa história foram derrubando cadeiras e mesas para chegarem à frente e alcançarem os melhores lugares. Provavelmente eles foram cuidadosos e educados, mas agiram com um alvo em vista, que era o de ocupar o lugar de honra. Mas o Senhor o notou! Pensemos nisso: o primeiro que descobre orgulho em nossa vida é o Senhor – e Sua reação não se fará esperar. Ele olha diretamente para dentro do coração e fala: "A soberba do teu coração te enganou..." (Ob 1.3).

Orgulho não é coisa pequena

Poderia-se dizer que o que aconteceu aqui é uma bagatela da qual nem vale a pena falar. Tentar conseguir o melhor lugar em uma mesa não é muito bonito, mas também não é tão trágico assim; certamente existe orgulho pior. Mas o fato de Jesus ter notado o acontecido e de ter comentado a respeito mostra claramente como o orgulho é terrível aos olhos de Deus. Por quê?

1- Porque o orgulho procede de um cristianismo sem cruz

Em Filipenses 2.5-8 encontramos um padrão para nossa mentalidade e para nossas intenções: "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz." Sua humilhação consistiu em não exigir o que era direito Seu. Ao invés de insistir em Sua semelhança com Deus, Ele humilhou-se a Si mesmo. Ele, diante de cuja palavra o Universo se abala; Ele, que é adorado e exaltado por todos os anjos criados; Ele, que não é criatura mas o próprio Criador – Ele se humilhou, sim, "tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz." Essa mentalidade que Jesus Cristo possuía é esperada de nós também. E quem não tem essa mentalidade não vive com a cruz e com o Crucificado, mas é contrário à cruz de Cristo. Uma pessoa assim, no fundo, é inimiga da cruz de Cristo por continuar sendo orgulhosa.

2- Porque o orgulho tem sua origem nas mais terríveis profundezas, ou seja, no próprio diabo

Satanás queria ser como Deus: "...subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo".

Nele nasceu o orgulho: "Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades no Norte" (Is 14.13). Satanás queria ser como Deus: "...subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo" (v. 14). Por isso o orgulho é tão terrível diante dos olhos de Deus e é condenado por Deus desde sua menor raiz.

3- Porque o orgulho provém da falta de temor de Deus

Em Provérbios 8.13 está escrito: "O temor do Senhor consiste em aborrecer o mal; a soberba, a arrogância, o mau caminho, e a boca perversa, eu os aborreço." O resultado da falta de temor de Deus sempre é o desprezo do nosso próximo, com uma valorização acentuada de si mesmo. Assim, os fariseus e escribas daquela época escolheram para si os melhores lugares à mesa. Onde os outros iriam sentar era indiferente para eles.

Hoje igualmente a falta de temor de Deus cresce ao ponto de chegar a um ódio pelos outros. Pessoas orgulhosas têm dificuldades em se relacionar com os outros e estão sempre prontas para brigar. Pois o orgulhoso tenta alcançar seus próprios alvos mesmo às custas da união. Por isso somos exortados tão seriamente: "Nada façais por partidarismo, ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo" (Fp 2.3).

4- Porque o orgulho sempre traz consigo a queda

Provérbios 16.18 diz: "A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda." A Bíblia Viva diz: "A desgraça está um passo depois do orgulho; logo depois da vaidade vem a queda." Isso combina exatamente com o que o Senhor Jesus diz em Lucas 14.8-9: "Quando por alguém fores convidado para um casamento, não procures o primeiro lugar; para não suceder que, havendo um convidado mais digno do que tu, vindo aquele que te convidou e também a ele, te diga: Dá o lugar a este. Então irás, envergonhado, ocupar o último lugar." Na prática, o orgulho não nos leva a sermos mais reconhecidos e importantes no Reino de Deus, mas acontece exatamente o contrário: quando somos orgulhosos, somos cada vez menos importantes para o Reino de Deus, até ao ponto de sermos totalmente desqualificados.

Quem se considera muito importante como candidato a obreiro no Reino de Deus, facilmente pode ser degradado ao patamar de um jumento, o que pode ser ilustrado com muito acerto com o seguinte episódio: certa vez um seminarista, muito convencido e cheio de si, falou a um servo de Deus: "Deus precisa de mim. Quero servi-lO." O servo de Deus respondeu: "Jesus só falou uma vez que precisava de alguém – e esse alguém era um jumento" (comp. Mc 11.3).

Quem se considera muito importante como candidato a obreiro no Reino de Deus, facilmente pode ser degradado ao patamar de um jumento.

Muitas vezes o orgulho não produz uma ampliação nos horizontes, uma expansão no ministério para o Senhor, como os orgulhosos muitas vezes pensam e querem, mas exatamente o contrário: eles se tornam imprestáveis para o serviço cristão e se tornam pequenos no Reino de Deus. A Bíblia diz em 2 Coríntios 10.18: "Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, e, sim, aquele a quem o Senhor louva."

Por Jesus ter se humilhado tanto na cruz, "...Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome" (Fp 2.9). E exatamente este mesmo princípio Jesus reafirmou em Lucas 14.11: "Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado."

5- Porque a humilhação vem, muitas vezes, por meio de outras pessoas

É disso que o Senhor fala em Lucas 14.8b-9: "...para não suceder que, havendo um convidado mais digno do que tu, vindo aquele que te convidou e também a ele, te diga: Dá o lugar a este. Então irás, envergonhado, ocupar o último lugar." Mesmo que o orgulho esteja relativamente escondido e se manifeste em segredo, um dia ele aparece e a humilhação se torna do conhecimento de todos. Meio que sorrateiramente, sem chamar muita atenção, alguns convidados se assentaram nos melhores lugares. Mas quando o anfitrião mandou que eles tomassem os lugares inferiores, todos ficaram sabendo.

É curioso observar que as pessoas orgulhosas são, muitas vezes, humilhadas exatamente por aquelas pessoas que elas queriam adular e agradar. No reino de Assuero, por exemplo, um certo Hamã gozava de todos os privilégios possíveis concedidos pelo rei (Et 3.1). Mas tão logo, através de Ester, sua esposa judia, Assuero ficou sabendo dos planos e das intenções orgulhosas de Hamã (ele queria enforcar o judeu Mardoqueu, por não o bajular, e queria mandar matar todos os judeus em um dia pré-determinado), iniciou-se a queda de Hamã de uma maneira que ninguém conseguiria deter: Hamã acabou enforcado juntamente com seus filhos (Et 7.10; 9.25).

6- Porque o orgulho produz insegurança

Muitas vezes as pessoas que têm uma tendência ao orgulho se mostram muito seguras de si, mas, na verdade, elas são movidas por uma estranha insegurança. Elas não estão firmes, não sabem qual o melhor caminho para si e não são confiáveis nas coisas espirituais. E isso acontece porque elas estão em um falso caminho, e porque no fundo de seu coração sabem que podem cair de onde se encontram: "Pois todo o que se exalta será humilhado..."

7- Porque só as pessoas humildes são íntimas do Senhor

Lucas 14.10 diz: "Pelo contrário, quando fores convidado, vai tomar o último lugar; para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima. Ser-te-á isto uma honra diante de todos os mais convivas." No início dizíamos que os orgulhosos levam uma vida que passa longe da cruz de Cristo, até contrária ao Senhor, e que os humildes, ao contrário, têm uma vida com Cristo em seu centro; essas pessoas vivem da Sua Palavra e têm a mentalidade do Senhor. Por isso, na parábola que estamos tratando, só o convidado humilde é chamado de "amigo": "Amigo, senta-te mais para cima." O Senhor não disse: "Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando"(Jo 15.14)?!

Só os humildes têm suas fronteiras ampliadas, só os humildes são exaltados. Por quê? Porque eles têm a mesma mentalidade que o seu Mestre. Ele disse: "Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado" (Lc 14.11).

O caminho para a verdadeira humildade

Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro em meu coração está a tua lei.

Só através de muita oração, e não através do simples pedido: "Senhor, humilha-me!" é que chegamos à humildade; somente através de uma decisão consciente de nossa vontade, que se transforma em ação, é que chegamos à humildade verdadeira. Jesus Cristo humilhou-se a si mesmo, pois a Bíblia diz: "...a si mesmo se humilhou" (Fl 2.8). Ele disse: "...agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro em meu coração está a tua lei" (Sl 40.8).

Na nossa parábola, o Senhor mostra como se pratica a humildade:

– "...não procures o primeiro lugar..." (Lc 14.8);

– "...vai tomar o último lugar..." (v. 10);

– "... o que se humilha..." (v. 11).

É imprescindível assumir uma atitude como João Batista teve, quando disse, olhando para Jesus: "Convém que ele cresça e que eu diminua" (Jo 3.30). É por isso que João Batista era tão grande aos olhos de Deus. O Senhor testemunhou acerca dele: "Entre os nascidos de mulher, ninguém é maior do que João" (Lc 7.28). Por isso é tão necessário eleger diariamente o caminho da humildade e ficar nele: "Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte" (1 Pe 5.6). Amém.